Homem virtual

O conhecimento virtual se deu entre nós durante as raríssimas ,mas marcantes ,” entradas triunfais” na sala que juro ter esquecido o nome .Nao me lembro se se chamava sala de bate papo ou de encontros para quem tivesse 50 anos ou mais.

Eu a frequentava eventualmente quando os plantões não se somavam na retomada de meu nome e de situação financeira e o fazia não com objetivo explícito de encontrar o ” sheik” de Abu Dhabi dos meus sonhos mas aqui entre nós se aparecesse hein?

O ritual de acesso era combinado em que horas ficávamos de nos encontrar e realmente a época , sem amigos nenhum, todos ” absolutamente gélidos e constrangidos” e absurdamente ” neutros” e com razão. Existia o poderio “belico” sob forma de punições administrativas e era infalível em prejudicar quem ajudasse a ” Madalena” nacional.

Ali eu encontrei pessoas de todos os jeitos e tipos. Revezavamos em escutar e fazer a trilha sonora é aí já existia uma disputa de quem colocava a música mais bonita ou que ” falasse” por nós exibindo o que hoje indubitavelmente era uma solidão enorme compartilhada.

Minha posição era extremamente discreta , respeitando o que eu representava uma vez que não omiti a profissão. Omiti os locais e o verdadeiro nome. Existia a líder da sala. Alias era a ela imprescindível se-lo. Fazia um bem enorme a ela e quem entrasse homem ou mulher fatalmente a ela se dirigia. Costumava alertar principalmente a mim quem era isto aquilo.Confesso que me divertia, não pagava nada ( nem poderia) e meus momentos passavam rápidos para que o sono chegasse.

A única pessoa do ” sexo oposto” ( eu acho está expressão ridícula) eu não tenho nada a opor a um homem rs foi ele. Sempre muito educado, atencioso com todos na sala , os textos bem construídos e inteligentes e um enorme senso de humor. Assim que deixava sua marca rapidamente saía.

A maioria das mulheres já o conhecia e não estranhava, mas eu sentia que perdia a ” graça” em ficar sem ler ou ve-lo curtir a música do momento.

Deste ambiente virtual a líder , ele , uma outra mulher e eu nos conhecemos na vida real e passei a admira-lo mais pela esmerada educação e mesmo que tendo se apaixonado pela lider o que era óbvio de acontecer, ela não o perdoaria se assim não acontecesse rs eu segui saindo ou estando junto em momentos muito gostosos onde curtiamos CDs novos antigos e fazíamos da trilha e dos petiscos uma noite gratificante .

Quando me aposentei e vim embora os deixei lá com a certeza de que fizera amigos para sempre.

Em um determinado momento e por um motivo fútil a líder deixou de falar comigo. Aliás até hoje eu realmente não sei porque. A única coisa diferente que houve foi que tendo eu sido colocada na justiça trabalhista pela minha faxineira há 18 anos ( sem razão nenhuma) eu pedi a ela que me indicasse uma advogada e se ela poderia ir até o porteiro do prédio para verificar se ele poderia ser minha testemunha de que a faxineira vinha só duas vezes. Dai em diante nunca mais falou comigo. Faz parte de mim correr atrás de verdades e assim fiz. Procurei por ela várias vezes. Avisei a ele ,que nunca deixou de ter contato comigo eventuais que o fossem, de minhas idas ao Rio e que gostaria de reve-los. Ele se mantinha e até hoje é silêncio sepulcral sobre o assunto.

Fazem muitos anos que recebo emails. Recentemente tem o whatsapp, mas o vejo ou melhor o sinto fidelíssimo a emails, ainda.

Não sei o que ocorreu com a líder. Morta não está porque recentemente em mais uma tentativa minha eu fui até a portaria do predio dela e foi notório o ” sem graça” do porteiro em negar a presença dela.

Eu procurei por ele. Queria reve-lo saber de uma amizade a estas alturas longeva. Nada. Não apareceu. Postergava qualquer aproximação.

O tempo é rei como diz a composição de Gil.

Em tempos de tecnologia ao alcance de todos os intelectos talvez os mais frágeis estejam sentindo o enorme prazer de ser o que virtualmente criam e manter-se assim: isolados sabendo -se admirados e sem coragem alguma ou a total covardia em poder ser humano: errar o verbete, não saber o idioma, a sintaxe correta ou mesmo expressar sejam quais forem, presencialmente, seus sentimentos.

Sim, para muitos , resta a postura virtual , utópica , estudada, o ser que gostaria de ser. Ou seja a inteligência artificial na forma humana.

Novos tempos, ocos e tristes em minha opinião.

Autor: betaniasemh

Professora universitária pela UERJ e médica do Hospital Federal Cardoso Fontes/ Rio de Janeiro duração : 35 anos aposentada 65 anos. Solteira, sem filhos. Viagens, arte, música e escrever são minhas predileções atuais não deixando de forma alguma a medicina agora como um fator de ajuda a necessitados. A paixão por escrever sobre os mais variados assuntos me moveu até aqui.( Ler é vestir a alma, escrever é despi-la) Resido atualmente na região serrana do estado do Espírito Santo na cidade de Santa Teresa colonização italiana e alemã.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s