Melancolia

A cada minuto o fim de ano se aproxima

Parece que foi ontem janeiro, cirurgia exposição, desengano, refém de uma vida sem amor seja o que for. Refém das minhas escolhas, de minha solidão acompanhada de mim.O medo em beber porque me exponho aqui em rede popular, social. Pelo menos tenho esta noção mas sempre é preciso ter cuidado com tecnologia e álcool ainda mais quando a amargura da vivência de dias sem amanhã se tornam reais em uma visão dúbia de ser e como será .

Tudo está confuso em mim. E em assim sendo prefiro não sonhar, não querer.

E se abdico de sonhos a vida se esvai. Impressionante como se esvai. Torna-se apática , monótona ,sem razão.

Pergunto a mim: não seria uma boa hora ir-me daqui? Não há razão para estar e ser foi importante antes. As razões foram tiradas. As menções omitidas. Os amores não se fizeram e a vida se foi sem seu maior querer: um querer.

Tenho medo, pela primeira vez tenho medo. Tenho medo de mim, das minhas certezas incertas, das minhas dúvidas acertadas, do terror da solidão dentro da imensa solidão da idade que se impõe com uma cabeça jovem de adolescente em busca de sua existência , de seu lugar no mundo. Lugar este duramente conquistado, apreendido, isolado em silêncios inocentes.

Preciso reagir. Preciso me achar . Preciso me ter. Não existe saída a não ser a mim, comigo e por mim.

Vou deixar o texto aberto ao incerto da senescencia, da improbidade em ter dito e da inteligência aguçada que veio sanar , no mínimo a razão em se fazer humana e mulher agora enfim .

Anúncios

Autor: betaniasemh

Professora universitária pela UERJ e médica do Hospital Federal Cardoso Fontes/ Rio de Janeiro duração : 35 anos aposentada 65 anos. Solteira, sem filhos. Viagens, arte, música e escrever são minhas predileções atuais não deixando de forma alguma a medicina agora como um fator de ajuda a necessitados. A paixão por escrever sobre os mais variados assuntos me moveu até aqui.( Ler é vestir a alma, escrever é despi-la) Resido atualmente na região serrana do estado do Espírito Santo na cidade de Santa Teresa colonização italiana e alemã.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s