Diagnóstico pelo celular!

Boa tarde! em que posso ajudá-la? A senhora ou a criança ?

Doutora ( de posse do celular e apontando angustiadamente para a tela dele) minha filha tem esta síndrome aqui!

A senhora já diagnosticou o que ela tem em uma tela de celular? ( o celular já estava sendo a mim fornecido)

Sim, tudo que ela apresenta está escrito aqui e é isto que ela tem .

Se a senhora já sabe o que tem sua filha porque está diante de mim? ( recusando a oferta do cel)

Eu não sei a quem recorrer se for esta síndrome .

Por favor, desligue o celular e diga o que sua filha apresenta que lhe preocupa sendo provável que se achou o diagnóstico deve ter aí também as orientações para o que procura ou seja o tratamento . Quer que eu veja ou a senhora já pode sair e procurar o tratamento que lhe é sugerido aí .

Como quer ? Talvez se me dissesse o que lhe incomoda tanto em sua filha, após desligar este celular, possamos dar prosseguimento a consulta que , com certeza, a senhora esperou em uma fila para conseguir.

Tendo desligado o cel e colocado na bolsa disse: ela só quer fazer o que quer. Não me respeita, me desafia e faz tudo do jeito dela .Tem sido rebelde comigo e em alguns momentos mostra-se agitada e exige que eu proceda conforme ela quer. Enquanto falava eu observava a menina em seus lindos 6 ou 7 aninhos . Atenta aos dizeres da mãe e dirigindo atenta também o olhar a mim quando, raramente , interrompia para ” aprofundar” uma assertiva ou outra.

Após certificar a ausência de uma criança ” molestada”, pedi a senhora super nervosa , que deixasse eu fazer as perguntas que julgava pertinentes a linda menininha.

Sua mamãe está preocupada com você e só você pode me ajudar a deixar tanto ela quanto você mais tranquilas . Responderá a tivó aqui?

Sim

Chegue aqui pertinho da tivó.

Ela veio tranquilinha e eu a abracei elogiando seus cabelos e roupinha e perguntei suavemente como se fosse contando história: mamãe já lhe deu uma palmada quando você fez o contrário do que ela queria depois de pedir várias vezes a você?

A mãe , logo, se manifestou : nunca !

A garotinha tranquila respondeu: não.

Você então deve ter ficado de castigo sem brincar com suas bonecas ou amiguinhas porque fez pirraça com a mamãe?

A mãe: de forma alguma !

Ah ! então deve ter ficado ajoelhada encima dos grãos de milho e o joelho ficou doendo aí foi que fez mais pirraça não?

Já apontando para a mãe que ia novamente interferir que se calasse olhando para a menininha que educadamente perguntou: o que é isso? ajoelhar encima do milho?

Ah! é um troço que a minha mamãe me fazia ficar porque eu beliscava o bebê dela mais novo que eu por ciúmes.

Você sabe o que seja ciúme?

Sim .

Como é o seu ciúme?

Não gosto de dar as minhas bonecas para outras brincarem.

Pois é e sua mãe pede que você compartilhe com as amigas não? Ou seja que você permita suas amigas brincarem juntas com você?

Não, a mamãe não diz nada não.

Porque ela está ocupada com outra coisa não? Por isto não ensina a você a dividir sua felicidade com as amigas?

( a mãe entrara em um choro convulsivo) e a menininha olhava para ela preocupada.

Você gosta da escola?

Sim.

E obedece os professores?

Naaaaaao , faço bagunça.

Então a professora ou professor corrige você não é? escola , em sua idade, é para começar a aprender a ler . Sabe ler, já?

Não , sei algumas letrinhas.

Então quando você juntar vai ver um mundo lindo que é ler livros e ler suas histórias favoritas. Gosta de histórias?

Sim. Mamãe lê para mim.

E depois vai dormir tranquilinha ou teima , de novo, com a mamãe?

As vezes teimo ( mãe chorando muito) mas se o sono vem eu durmo.

Dorme sem sustos não? Lembra de sonhos?

Não não lembro e sim sem assustar .E o chinelo da mamãe já voou pelo quarto em direção a você durante a pirracinha? Ela tem boa pontaria ? Tipo bola de boliche?

Nunca doutora!( mãe)

Não , mamãe não fez isto não!

Olhe, você tem uma mãe muito linda mesmo. Eu se você fosse, olharia para ela agora com muito carinho , ia lá e dava um monte de beijinho nela pelo amor que você tem a ela e ela a você!

A garotinha se dirigiu a mãe ( que estava se desmanchando de chorar) abraçou e a beijou.

O papai usa o cinto para corrigir você?

Naaaaaao, nunca vi isto não .

Você vê como tem sorte : a tivó levou umas boas surras do cinto do papai dela, ajoelhou no milho e doía pra caramba e não podia responder ao papai ou a mamãe e nunca aos professores senao ficava de castigo

É muito ruim ficar de castigo?

Bom , quando eu fiquei, eu não gostava não .

Você , linda menininha, tem muita sorte em ter uma mamãe e um papai e professores tão lindos que lhe ouvem em tudo que quer e não lhe perguntam porque quer assim ou de outro modo!

Estou com muita inveja de você!

Ela sorria , dentro da linda ingenuidade dos seus parcos aos, e eu olhei para a mãe e disse:

Vá , leve sua linda filha e dê a ela a síndrome que precisa : dentro do que diz o seu coração , dar-lhe limites a livrará da ritalina que deve ser o remédio prescrito na síndrome que achou no celular.

É sim, este mesmo . Precisa de receita .

Desculpe senhora mas creio que entendeu . Preciso crer que entendeu que sua filha não tem nada, lhe ama mas como todas as crianças, bichinhos de estimação , serviçais que nos ajudam, amigos que nos cercam, colegas de trabalho, limites minha senhora são necessários a viver em sociedade. E não saia por aí dizendo que fiz apologia a ser cruel com crianças mesmo porque só acreditaria quem a mim tem como objetivo denegrir .

LIMITES: os ache dentro de si e a faça sentir sua autoridade visando sempre o bem dela!

Pois é e assim caminha a humanidade de agora: desenfreada, ignorante, dona de verdades incontestáveis e sem base nenhuma porque tem conselho disto daquilo e psicologia e psiquiatras e um ” imenso” mundo de certezas de que não pode nada a criança que ” a fira” mas com certeza mete a mão no cachorro para ele não fazer cocô no tapete persa da sala .

Que bom ter pertencido a geração 60′!

Anúncios

Autor: betaniasemh

Professora universitária pela UERJ e médica do Hospital Federal Cardoso Fontes/ Rio de Janeiro duração : 35 anos aposentada 65 anos. Solteira, sem filhos. Viagens, arte, música e escrever são minhas predileções atuais não deixando de forma alguma a medicina agora como um fator de ajuda a necessitados. A paixão por escrever sobre os mais variados assuntos me moveu até aqui.( Ler é vestir a alma, escrever é despi-la) Resido atualmente na região serrana do estado do Espírito Santo na cidade de Santa Teresa colonização italiana e alemã.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s