Sete de setembro chegando. A delícia de um feriado prolongado. O peito apertado. Incertezas quanto a tudo que se chame país e absurda quanto se refira a paz.

Não a pessoal, sequer de pessoas. Um sete de setembro revestido de luto , um passado perdido. Creio que coroa o perdido de nós e em nós . Há tempos a boca não amarga tanto, a angústia não incomodava tanto e a tristeza se faz senhora .

O óbvio seria uma comemoração . Mas, comemorar o quê? Independência de que?

Onde se situa nossa independência agora?

Saúde? Com pais em país relapso a enorme percentual de crianças não vacinadas a doenças que estavam erradicadas e ou prevenidas.

Educação? Exemplos sórdidos de geração criada livre ,leve , solta enrolada em uma bandeira lá na longínqua Rússia colocando caixa de som e som a toda altura indiferentes a regras e regulamentos em cada lugar que passaram? E quando questionados ou educadamente lembrados apontavam para a bandeira tipo: aqui tudo é permitido , possível e passível! Virou meme em rede nacional naquele local. Como vira em todos por onde passam .

Segurança? Pessoas sitiadas cujas residências se transformaram em bunkers .

Sanitarismo básico? Ainda a procura dentro, e entre 5 séculos de existência se é que possamos chamar existência algo por aqui.

Ministros sucessivos da Saúde: cassados pelos conselhos de classe ou não médicos mas dono de planos de saúde , ministro de educação sem nenhuma qualificação técnico científica para gerir a própria quiçá de um país . Resultante degradação intencional das escolas públicas e universidades também, hospitais idem e a proliferação do ensino médico particular , uma fonte inesgotável de riqueza e lavagem de dinheiro. Escolas públicas geridas pelo esforço da vocação e amarradas nas regras da deseducação intencional . Enormidade de particulares , caríssimas.

Ver um monte de “ pelados” na Times Square” pedindo que um senhor probo, palestrante internacional, doutor honoris causa seja o presidente deste país .

É , melhor tomar uma e aguentar “ o chifre no asfalto” ou a mulher que presta seja aquela que “o copo está na mão” e melhor rir porque “ pai paga a faculdade; mas eu gosto é de beber no posto de gasolina”

Renato Russo: ainda sem resposta a sua pergunta , meu filho: que país é este?

Tomara que ninguém se perturbe a ler, uma vez que está longo intencionalmente porque vão surgir coisas tipo: o Bolsonaro vai dar jeito em tudo . Como Collor ia, FH e o Lula? Nossa este então vindo das “ massas” !

Bom feriado a todos!

Finalmente: Independência ou morte !

Mais?

Autor: betaniasemh

Professora universitária pela UERJ e médica do Hospital Federal Cardoso Fontes/ Rio de Janeiro duração : 35 anos aposentada 65 anos. Solteira, sem filhos. Viagens, arte, música e escrever são minhas predileções atuais não deixando de forma alguma a medicina agora como um fator de ajuda a necessitados. A paixão por escrever sobre os mais variados assuntos me moveu até aqui.( Ler é vestir a alma, escrever é despi-la) Resido atualmente na região serrana do estado do Espírito Santo na cidade de Santa Teresa colonização italiana e alemã.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s